Belo Horizonte Carnaval 2018 : Desfile das Escolas de Samba do Grupo A

Corte Carnaval de Belo Horizonte 2018
Corte do Carnaval de Belo Horizonte 2018 – Foto PMBH


Belo Horizonte Carnaval 2018 – Desfile das Escolas de Samba do Grupo A – Sortimentos Carnaval

Com samba no pé, muito amor e garra pelo Carnaval de Belo Horizonte, as escolas de samba da capital mineira prometem encantar o público na avenida Afonso Pena durante o desfile que acontece na terça-feira, 13 de fevereiro. Uma das novidades para 2018 é o aumento no valor da subvenção destinada aos grupos. As escolas de samba do Grupo A recebem R$ 75 mil; as do Grupo B, R$ 37,5 mil; e os blocos caricatos, R$ 37,5 mil. Os valores representam um aumento de 50% em relação ao investimento realizado em 2017.

A estrutura na avenida Afonso Pena também receberá vários incrementos, como a pintura do asfalto na cor branca, que valoriza as fantasias e adereços; a instalação de um cronômetro visível na avenida; melhorias na estrutura de som e na iluminação do espaço e arquibancadas com mais conforto. A proposta é investir em todas as frentes para que a experiência final seja a melhor possível para quem desfila e para o público, gerando um legado para os anos seguintes.

Este ano, o regulamento traz novidades para 2019. A partir do próximo ano, haverá uma dinâmica de acesso e rebaixamento das escolas entre Grupo A e Grupo B, estimulando uma competição saudável que vai impactar a qualificação dos desfiles a cada ano. Outro aspecto importante, também previsto no regulamento, é a abertura de espaço para o surgimento de novas escolas de samba e blocos caricatos, um ingrediente com potencial para trazer inovação e renovação para o Carnaval.

Ordem dos desfiles:
:: Bloco Afoxé Bandarerê
:: Grêmio Recreativo Escola de Samba Bem-Te- Vi
:: Grêmio Recreativo Escola de Samba Estrela do Vale
:: Grêmio Recreativo Escola de Samba Cidade Jardim
:: Grêmio Recreativo Escola de Samba Acadêmicos de Venda Nova
:: Grêmio Recreativo Escola de Samba Imperavi de Ouros
:: Grêmio Recreativo Escola de Samba Canto da Alvorada



G.R.E.S. Mocidade Independente Bem-Te-Vi

Fundada em abril de 1979, a agremiação, que tem como símbolo o pássaro bem-te-vi, será a primeira a entrar na avenida.

Sem desfilar desde 2016, a escola vai homenagear a cidade de Sete Lagoas, que comemora 150 anos, mostrando sua história, seus pontos turísticos e sua gente. O carnavalesco Aloiz Marinho promete muitas cores e brilho na Afonso Pena.

:: Enredo: Parabéns Sete Lagoas, são 150 anos. Cidade dos sete lagos encantados, cidade nascida no alto.
:: Samba Enredo: Gabriel Maia
:: Carnavalesco: Aloiz Marinho
:: Componentes: 220
:: Alas: 6
:: Carros Alegóricos: 1

G.R.E.S. Estrela do Vale

Fundada em 2009, a Estrela do Vale representa a região do Barreiro no Carnaval de Belo Horizonte. A escola foi a vice-campeã no Carnaval 2017.

Este ano a escola faz uma crítica bem-humorada à situação atual do Brasil através das danças típicas. A Estrela do Vale começará o desfile contando sobre a chegada dos portugueses – e como os índios “dançaram” – e percorrerá os diversos estilos de dança do país. O último carro, ‘Um Musical Chamado Brasil’, faz uma síntese de todo o enredo, mostrando a dualidade entre a alegria e as dificuldades que o povo brasileiro enfrenta.

:: Enredo: Um Musical Chamado Brasil
:: Samba Enredo: Wilblener Danilo/ Igor Paulo/ Dudu Estrela do Vale
:: Carnavalesco: Flávio Campelo
:: Componentes: 380
:: Alas: 10
:: Carros Alegóricos: 4

G.R.E.S. Cidade Jardim

Em 1961, um integrante da Escola de Samba União Serrana, do Conjunto Santa Maria, criou a Escola de Samba Cidade Jardim. Uma das mais tradicionais escolas de samba de Belo Horizonte, a Cidade Jardim já faturou 20 títulos, sendo 19 consecutivos.

Em 2018, a escola traz o enredo ‘Cidade Jardim canta as flores’, criado pelo carnavalesco Paulo Balbino.

::  Enredo: Cidade Jardim canta as flores
::  Samba Enredo: Ivair Rabelo e Pirulito da Vila
:: Carnavalesco: Paulo Balbino
:: Componentes: 800
:: Alas: 12
:: Carros Alegóricos: 3

G.R.E.S. Acadêmicos de Venda Nova

Fundada em 2005 na casa da família Gonçalves, no bairro São João Batista, a escola desfila representando a criatividade da região de Venda Nova. Seus símbolos tradicionais são um pandeiro e a mitológica ave Fênix. Pentacampeã, a escola venceu cinco das últimas dez disputas, inclusive a do ano passado.

Em 2018, a Acadêmicos de Venda Nova vai celebrar o reconhecimento do conjunto arquitetônico da Pampulha como Patrimônio Cultural da Humanidade, pela Unesco. O desfile promete ser um passeio pelas atrações da orla da Lagoa da Pampulha, das obras de Niemeyer ao Mineirão, passando pelo antigo cassino e pelo zoológico. Enredo: Sou Pampulha, sou carnaval sou patrimônio da cultura mundial

:: Samba Enredo: Xico Queiroz; Vinícius Mineiro, Evandro Melo
:: Carnavalesco: Marco Aurélio Gonçalves
:: Componentes: 600
:: Alas: 16
:: Carros Alegóricos: 4

G.R.E.S. Imperavi de Ouros

Da fusão dos nomes das escolas de samba Imperatriz e Bem-te-vi originou-se a Escola Imperavi de Ouros, criada no bairro Anchieta, em janeiro de 2013.

Uma das mais jovens agremiações de Belo Horizonte, ela promete pintar a Afonso Pena de verde em 2018, levando o verde das matas para a avenida. O enredo é um grito de alerta para a preservação indígena e os cuidados com a natureza.

:: Enredo: A tribo Imperavi canta os encantos dos mistérios da Amazônia
:: Compositores do Samba Enredo: Carmo Antunes, Guilherme Mocidade,
:: Carnavalescos: Luis Carlos Novais, Sandro Sodré e Professor Rogério Rosinha
:: Componentes: 430
:: Alas: 15
:: Carros Alegóricos: 4

G.R.E.S. Canto da Alvorada

Durante um bate-papo sobre Carnaval, em março de 1979, foi fundada a Escola de Samba Canto da Alvorada, na sede do Clube Atlético Mineiro. De lá pra cá foram 15 títulos, o último em 2016. O nome faz alusão ao vínculo da escola ao clube, afinal, quem canta na alvorada é o galo.

Neste ano, a escola homenageia o Grupo Aruanda. “Falar do Aruanda é mais que um enredo, é uma necessidade. É um compromisso da escola de resgatar o que há de melhor na dança folclórica”, explica Maria Elisa de Moraes, diretora de Harmonia e Carnaval. Na Afonso Pena, o destaque deve ficar por conta da participação do próprio Grupo Aruanda em três momentos distintos do desfile.

:: Enredo: Grupo Aruanda Embaixador da Cultura Brasileira
:: Compositores do Samba Enredo: Serginho BH
:: Rainha da Bateria: Natália Moreno
:: Carnavalesco: Diretoria de Carnaval / Maria Elisa Abreu Cruz de Morais
:: Componentes: 650
:: Alas: 17
:: Carros Alegóricos: 4