Belo Horizonte Carnaval 2018 : folia e ressaca no Memorial Minas Gerais Vale

Escola Unidos do Samba Queixinho - Foto Fabio Vimas
Escola Unidos do Samba Queixinho – Foto Fabio Vimas


Belo Horizonte Carnaval 2018 – Folia no Memorial Minas Gerais Vale – Sortimentos Carnaval

O Memorial Minas Gerais Vale ( Praça da Liberdade, 640 – Funcionários, esquina com Rua Gonçalves Dias, no Circuito Liberdade ), em Belo Horizonte / MG, convida o público para se divertir ao som da Escola Unidos do Samba Queixinho e para a ressaca de Carnaval, com tradicional Baile de Máscaras. A programação aberta ao público é inteiramente gratuita e sujeita a lotação do espaço.

PRÉ-CARNAVAL
Na quinta-feira (08.02.18), a rua em frente ao Memorial Vale vai estar fechada, a partir das 19h30, para que foliões festejem ao comando da Escola Unidos do Samba Queixinho. Fundada em 2009 pelo jornalista e músico Gustavo Caetano, a proposta é fomentar a formação de pessoas interessadas em música percussiva.

RESSACA
Para matar a saudade de quem curtiu os cinco dias da festa, o Memorial Vale faz a festa da ressaca na quinta-feira (15.02.18), às 19h, com um tradicional Baile de Máscaras. Para conduzir a folia, o diretor musical do Bloco Chama o Sindico, Leonardo Brasilino, reúne instrumentistas de metal convidados especialmente para o Baile de Máscaras do Memorial. Conhecido como trombonista, cantor, arranjador, compositor e produtor musical, Leonardo Brasilino garante no repertório as conhecidas marchinhas e velhos sambas que irão transformar o museu em um legítimo baile de carnaval. Um atelier também vai estar aberto para visitantes e foliões personalizarem suas máscaras e garantir o colorido tradicional da data.

TRAJE A RIGOR
Ainda no clima de Carnaval, o visitante poderá experimentar vestimentas e adereços de personagens que fizeram parte da história de Minas Gerais durante todos os dias do mês de fevereiro. A ideia é conhecer e vivenciar antigos jeitos mineiros. Uma arara com quase 15 figurinos fica à disposição no Jardim do Memorial e leva o público a ‘vivenciar’ desde o homem primata até a tradicional personagem Chica da Silva. Também fazem parte da atração personagens como namoradeiras, cavalhada, anjo barroco, rei e rainha do Congado, índio Pataxó, bandeirante, jagunço, Tiradentes, João Fernandes, clássicos da sociedade do século 19, moça fantasma – alusivo aos fantasmas de Belo Horizonte, entre outros.