Rio de Janeiro Carnaval de Rua 2017 : Cordão do Boitatá completa 21 anos com grande Baile Multicultural na Praça XV

Cordao do Boitata Carnaval de Rua Rio de Janeiro - Foto Guilherme Goncalves
Cordão do Boitatá – Carnaval de Rua do Rio de Janeiro – Foto Guilherme Gonçalves

O Cordão do Boitatá comemora a sua maioridade no Carnaval 2017.  No domingo de Carnaval (26 de fevereiro), o grupo promove o seu grande Baile Multicultural do Cordão do Boitatá, das 9h às 17h, na Praça XV, centro do Rio de Janeiro. O grupo, que em 2016 levou Marisa Monte para o Baile da Praça XV, é vencedor do Prêmio Serpentina de Ouro 2014, do jornal O Globo, na categoria “Melhor Bloco”.

O Cordão do Boitatá é considerado um dos blocos/grupos mais importantes na revitalização do Carnaval de rua da cidade, que a cada ano busca trazer inovações. Como é de praxe, o Baile do Boitatá sempre homenageia os grandes nomes da nossa música. Este ano, o show fará homenagem a Tom Jobim (que completaria 90 anos no último dia 25 de janeiro), Moacir Santos e Ismael Silva. O show também fará homenagem às escolas de samba Mangueira, Portela, Império Serrano, Salgueiro, Vila Isabel, Mocidade e Salgueiro.

O show na Praça XV vai reunir renomados artistas e instrumentistas da nossa música, além de artistas da nova geração, como Jards Macalé, Teresa Cristina, Moyses Marques, Gabriel Versiani, Pedro Miranda, Mariana Baltar, Mariana Bernardes, Beatriz Rabello, Marcelinho Moreira, Simone Mazzer. A música africana estará presente, com a participação do artista angolano Zola Star. O rapper Renegado também é um dos nomes confirmados para o grande baile a céu aberto.

Num palco recheado de artistas, o Cordão do Boitatá também recebe grandes nomes da música instrumental, como Mario Adnet, homenageando os 90 anos de Tom Jobim. Adnet vai apresentar alguns arranjos do projeto “Jobim Sinfônico”, em músicas como “Frevo de Orfeu”, “Quebra-Pedra (um baião instrumental), “Polo Pony”, tema instrumental desconhecido de Tom, trilha de um filme americano da década de 60; e “Água de Beber”. O mestre Moacir Santos também ganha homenagem, com arranjos do disco Ouro Negro”, apresentados por Mario Adnet e pela flautista Andreia Ernest Dias. O compositor Ismael Silva também ganha uma homenagem especial dos músicos Claudio Jorge e Augusto Martins, que farão uma seleta de suas canções. Outro grande convidado deste Carnaval é o músico João Donato, que fará uma apresentação especial, com temas e arranjos próprios.

No repertório do show, além da apresentação de músicas autorais inéditas, estarão presentes Chico Buarque, Aldir Blanc, Pixinguinha, Hermeto Pascoal, Braguinha, Gilberto Gil, Cartola, além de músicas de compositores e instrumentistas da nova geração. O show ainda contará com a participação especial dos grupos Jongo da Serrinha; Amigos da Onça, os “afilhados” do Boitatá; além do Bloco Agytoê.

“O Baile do Boitatá tradicionalmente promove encontros musicais de grandes artistas e músicos e sempre estimulamos a criação de novas composições. Nosso show permite que esteja presente no palco uma grande variedade de compositores e estilos musicais, além de todo o repertório musical do Carnaval”, conta Kiko Horta, um dos fundadores do grupo.

Toda a riqueza musical carioca e brasileira do Carnaval está presente na folia do grupo: as marchinhas, sambas, maxixes, afoxés da Bahia e os frevos dos maestros Capiba, Duda e Spock. Além do repertório carnavalesco, o Cordão do Boitatá também apresenta músicas que vão desde o “Trenzinho do Caipira”, de Villa-Lobos, passando pelo chorinho e por músicas de compositores africanos, como o nigeriano Fela Kuti ou o sul-africano Abdullah Ibrahim, ou mesmo trazendo Bob Marley para o samba-reggae, o que ressalta a diversidade e a multiplicidade da nossa música.

O Cordão do Boitatá é reconhecido como um dos blocos mais alegres e coloridos do Carnaval carioca. Desde os primeiros cortejos do bloco, quando os músicos e um grupo de amigos desfilavam fantasiados pelas ruas do Rio Antigo, seus foliões comparecem em peso vestidos com fantasias criativas e bem-humoradas nos dois dias de folia do bloco.

CORDÃO DO BOITATÁ – O GRUPO E O BLOCO
O pioneirismo e a vanguarda são papéis exercidos pelo Cordão do Boitatá no carnaval de rua do Rio de Janeiro, desde sua retomada no fim dos anos 90. Criado em 1996, o grupo Cordão do Boitatá tem como referência a diversidade cultural da música e das festas populares brasileiras. Boitatá é uma palavra de origem tupi-guarani, que significa cobra de fogo. Cobra de Fogo (Boitatá) esta no estandarte do bloco com imagem de São Sebastião, padroeiro da cidade do Rio de Janeiro.

O Cordão do Boitatá foi pioneiro e teve um papel essencial na retomada e na revitalização do Carnaval de rua da cidade. Desde 1997, o bloco circula pelas ruas estreitas repletas de casarios do Rio Antigo, proporcionando uma acústica perfeita, já que o percurso é realizado sem caixas de som.

O carnaval do Cordão do Boitatá é dividido em dois momentos: o pré-carnaval com um Cortejo, da Praça XV até a Praça Tiradentes, que conta com uma orquestra de sopros e percussão com mais de 90 músicos, e o tradicional Baile Multicultural do Cordão do Boitatá, em palco montado na Praça XV no domingo de Carnaval.

 

Booking.com