Extrapolar os limites físicos durante o Carnaval pode gerar graves dores na coluna vertebral

As festas carnavalescas estão chegando e o brasileiro está se preparando para aproveitar o período em suas diversas maneiras, seja nos clubes de dança, nas avenidas e nos blocos festivos, ou à beira mar ou em cachoeiras, com a família ou com os amigos. O fato é que ambas as formas de curtir o Carnaval devem ser regidas pelo bom senso, pois, o nosso corpo, possui limites físicos que precisam ser respeitados.

Segundo o fisioterapeuta Giuliano Martins, diretor regional da Associação Brasileira de Reabilitação de Coluna (ABRColuna), proprietário do ITC Vertebral Ribeirão e ITC Vertebral Curitiba e perito judicial do trabalho, o importante é ter a consciência sobre o condicionamento físico para não ocorrerem abusos e, consequentemente, lesões ou dores na coluna vertebral. “O sedentário jamais deverá se expor e pular todas as noites de Carnaval. Ele corre um sério risco de, no outro dia, acordar com desconfortos musculares, principalmente na coluna e nas pernas”, explica.

Para Giuliano Martins são necessárias algumas medidas para aproveitar a comemoração. “Além de se alimentar bem e ingerir muita água, é imprescindível ter de sete a oito horas de sono para descansar e tarefas leves durante o dia colaboram com o descanso do folião”, ressalta.

Outro ponto destacado pelo especialista são os longos congestionamentos no trânsito enfrentados pelas pessoas que buscam por ambientes diferenciados durante o feriado, como por exemplo, as praias e as cachoeiras. “Com a enorme quantidade de carros que se deslocam para o litoral, o tempo sentado no automóvel supera o comum. Além dos ajustes nos bancos, encostos e espelhos, devemos parar e circular a pé por cinco minutos a cada uma hora e meia dirigidas. O turista deve tomar cuidado redobrado em locais desconhecidos para mergulho, pois, este tipo de acidente deixa dezenas de pessoas paraplégicas todos os ano”, afirma.

Cuidados Saúde Carnaval 2014 ITC Vertebral

Sobre o ITC Vertebral – Fundado pelo fisioterapeuta Helder Montenegro, presidente da Associação Brasileira de Reabilitação de Coluna (ABRColuna) e reconhecido como um dos maiores especialistas em tratamento de coluna no Brasil, o Instituto de Tratamento da Coluna Vertebral iniciou suas atividades em 2005, em Fortaleza (CE).

Em apenas dois anos foram mais de 700 pacientes tratados, com êxito, pelo método RMA. Tais resultados alcançaram grande projeção e o ITC Vertebral passou a receber pacientes de todo o Brasil. Com o aumento da demanda, o ITC Vertebral decidiu formatar a primeira franquia em fisioterapia do país e, em 2007, deu início à uma expansão que já contabiliza 70 unidades no país. Capitais como São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte, por exemplo, já contam com mais de uma unidade do Instituto. O ITC Vertebral é afiliado à ABF (Associação Brasileira de Franquias). Em 2010, foi ranqueado pela Revista Pequenas Empresas Grandes Negócios em primeiro lugar no quesito crescimento econômico e terceira posição em satisfação dos franqueados que, juntos, já trataram mais de 4 mil pacientes.

Por conta do reconhecido trabalho, o ITC Vertebral recebeu convites para demonstrar seus resultados no México, Inglaterra, Holanda, Portugal, Argentina, Chile e Venezuela, países que estão em vias de instalar unidades do Instituto.