Lamentável ! Paraíso do Tuiuti leva Vampiro-presidente NeoLiberal descaracterizado para desfile das Campeãs

Leo Moraes Vampiro-presidente NeoLiberal Paraíso do Tuiuti

O ‘vampiro-presidente NeoLiberal’ da Paraíso do Tuiuti, vice-campeã do Grupo Especial, uma das figuras mais comentadas do Carnaval 2018 no país, desfilou sem a faixa presidencial na festa das campeãs realizada entre sábado (17/02) e domingo (18.02). Segundo informações do barracão da Escola, emissários da presidência da República pediram à Liga Independente das Escolas de Samba (Liesa) que impedisse a entrada do destaque.

A Escola que encantou a população brasileira e a imprensa internacional com sua crítica político social expressa no samba enredo “Meu Deus, meu Deus, está extinta a escravidão?”, com fantasias e carros alegóricos representando o racismo, a exclusão social, os ‘Patos da Fiesp’ e as mazelas da Reforma Trabalhista e da Previdência, oscila para o desencanto. Foi lamentável ver a falta de ‘personalidade’ da Tuiuti na Avenida durante os desfiles das Campeãs.

SEM FAIXA, SEM PERSONALIDADE
Questionado, o professor de História, Léo Moraes, de 40 anos, que interpretou o personagem, disse que não havia recebido a informação e que desfilaria com a faixa. Mas isso não ocorreu. No final da apresentação, recebeu a orientação de se descaracterizar rapidamente e lá na dispersão retirou a maquiagem e a roupa de vampiro.

FALTOU PEITO
Muitos integrantes da escola lamentaram o fato de o personagem entrar na Avenida sem o adereço. “Uma pena não terem peito de deixar ele usar a faixa presidencial”, disse um membro da Escola.

FATOS PARA PENSAR E REFLETIR
:: O carnavalesco Jack Vasconcelos disse que não teria como negar ou confirmar a informação sobre a exigência de liberar o desfile do ‘vampiro-presidente NeoLiberal’ mediante a retirada da faixa presidencial.
:: O diretor da escola Thiago Monteiro disse que Léo Moraes havia sofrido um mal-estar, mas que a participação dele no desfile estava garantida.
:: De acordo com o Globo, fontes da Escola informaram que o professor não desfilaria, mas que depois, voltaram atrás e resolveram que ele entraria, mas sem a faixa. Foto do Globo mostra o momento em que Léo Moraes entrega a ‘faixa presidencial’ para um assistente guardar. Momentos antes, Leo, disse que havia perdido a faixa presidencial no final da apresentação de domingo (11.02).
:: O presidente da Paraíso da Tuiuti, Renato Thor, precisa repensar os fatos que envolvem a Escola. Em 2017, houve o atropelamento de vinte foliões na Sapucaí e em 2018, oscila do encanto ao desencanto, submissa a censura e acatando os desejos daqueles que criticou na Avenida. Chato e lamentável. Descrédito e falta de personalidade.

SÁTIRAS NA WEB
Diferente da Tuiuti que criticou e não ‘bancou’ a crítica, os internautas brasileiros que tanto promoveram e destacaram a Escola, seguem com manifestações criativas e interessantes na rede. “Descobriu-se a primeira finalidade da intervenção federal do Rio de Janeiro. Impedir o uso da faixa presidencial do ‘Vampiro-presidente NeoLiberal’ da Tuiuti e “Será que o presidente Michel Temer roubou a faixa presidencial pela segunda vez ?” são algumas das publicações em redes sociais.