Santos Carnaval 2019 : Como foi o desfile das escolas de samba do grupo especial

Desfile das Escolas de Samba de Santos Carnaval 2019

Santos Carnaval 2019

Grupo Especial reúne 10 mil foliões na Passarela Dráusio da Cruz em Santos / SP. A avenida do samba recebeu na noite de sábado (23.02.19) a elite do samba santista, com apresentação das oito escolas do grupo especial. Por ordem do sorteio, desfilaram Mocidade Dependente do Samba, Vila Mathias, Amazonense, União Imperial (atual campeã), X-9, Unidos dos Morros, Sangue Jovem e Real Mocidade Santista. Este foi o quarto ano em que os desfiles das escolas ocorrem uma semana antes do carnaval oficial, atendendo à solicitação da Liga Independente Cultural das Escolas de Samba de Santos (Licess).

Desfile das Escolas de Samba de Santos no Carnaval 2019
A lenda do rei português São Sebastião, a luta de Mandela e as belezas da pérola do Atlântico foram os três primeiros enredos do Grupo Especial que abriram a segunda noite do Carnaval santista, reunindo 10 mil pessoas na Passarela do Samba Dráusio da Cruz, no sábado (23.02.19). Ainda teve picadeiro verde e rosa na avenida, homenagens a Adoniran Barbosa e ao sambista Aroldo Melodia, a história do Guaraná, contada pelos povos indígenas, e a religião Umbanda com toda inspiração para cura do mundo.

O começo dos desfiles, às 20h07, foi com chuva fraca. 850 integrantes da Mocidade Dependente do Samba foram a passarela na busca pelo seu primeiro título. A escola desfilou uma das lendas mais míticas do folclore brasileiro. As 12 alas apresentaram o rei português Dom Sebastião que, encantado, busca até hoje o seu reino perdido na terra de Upaon-Açu (ilha grande para os Tupinambás).

Uma tribo africana como comissão de frente abriu o desfile da Vila Mathias e mostrou a trajetória de luta pela igualdade racial de Nelson Mandela. O primeiro casal de mestre-sala e porta-bandeira, Gabriel Rodrigues, 17 anos, e Angélica Paiva, 29, representaram os pais do líder sul-africano.

Piratas corsários, índios tupinambás, navegadores portugueses, jesuítas e pescadores ‘invadiram’ a avenida para mostrar a história, as tradições e as belezas da Pérola do Atlântico, como é internacionalmente conhecida a cidade de Guarujá. Foi o desfile da Mocidade Amazonense, com 1.200 componentes, que levantou o público, em especial com o ritmo contagiante da bateria. Um dos destaques ficou para o final do desfile, quando o último carro, chamado ‘Carnaval: o feitiço da ilha chegou’, levou pierrôs e colombinas para o baile de Carnaval.

A magia do circo foi verde e rosa com a União Imperial. A emoção de todos os participantes na concentração foi tomada pelo lema “porque nessa avenida nós vamos brincar”, em especial pelo ator e artista circense Marcos Frota, destaque no primeiro carro ‘Caravana da Alegria’. Fazendo tradição no carnaval de Santos, a dançarina Scheila Carvalho também contribuiu com a alegria da agremiação. “Santos me abraçou e verde e rosa é minha paixão desde pequena. Esse enredo foi muito gostoso, pois envolve criança, que sou apaixonada. Desfilamos com muita garra e energia. A escola estava linda, colorida, alegre. Com fé em Deus a gente leva esse título mais uma vez”, disse.

Em forma de samba, uma verdadeira crônica da vida do artista Adoniran Barbosa passou pela passarela no enredo da pioneira X-9, já na madrugada de domingo. Diversas obras musicais do homenageado, como ‘Samba do Arnesto’, ‘Tiro ao Álvaro’ e ‘Apaga o fogo Mané’, deram nome às alas formadas por 1.400 componentes. A ala das baianas representaram a canção ‘As mariposas’. Ainda na concentração, os integrantes cantaram a famosa ‘Saudosa Maloca’, antes de pisarem na passarela. Entre os destaques, o carro abre-alas retratou os tempos de boêmia da cidade grande, com seus personagens e estereótipos. A última alegoria da agremiação também chamou a atenção do público ao mostrar a despedida de Adoniran e seu ‘retorno’ ao céu conduzido por anjos e sobre uma das referências mais significativas poetizadas em uma de suas obras, o ‘Trem das 11’.

Na madrugada de domingo (24.02.19), a parte alta da Cidade desceu para a passarela do samba, levando a garra da escola Unidos dos Morros. O intérprete de samba enredo, Aroldo Melodia, foi homenageado pela agremiação, que tradicionalmente tem como comissão de frente o Balé Oficial da Cidade de Santos, sob o comando de Renata Pacheco. O desfile mostrou a importância das obras do artista nascido no Rio de Janeiro em 1930 e que começou na União da ilha do Governador em 1958, onde permaneceu por 36 anos como a voz que deu identidade à escola.

As arquibancadas ganharam uma animação extra a partir das 3h, com abertura de várias bandeiras do Santos Futebol Clube e da torcida Sangue Jovem para vibrar pela escola que iniciava o ‘esquenta’ para entrar na avenida com a lenda sobre a origem da planta guaraná, envolvendo um curumim cheio de vida, a tragédia nascida da inveja e o renascimento pelo fruto que simboliza energia. Doze alas, casais de mestres-salas e porta-bandeiras e três carros alegóricos encarnaram a garra da tribo Maué, conhecida pela coragem e força. O mestre da bateria, Ronaldo Ballio, garantiu minutos antes do desfile o agito da arquibancada, com o trabalho dos 130 ritmistas que ensaiam praticamente o ano todo.

Faltava pouco para 4h30 quando a última escola, a Real Mocidade Santista, começou a entoar o hino da umbanda na concentração, emocionando os integrantes. A agremiação com 1.400 componentes reverenciou esta religião de matriz africana, apresentando na avenida uma grande gira de caboclo e preto velho. “Umbanda, alumia meu coração. São 110 anos com a benção de oxalá trilhando o caminho da cura” era um dos trechos do samba enredo cantados pelos foliões. Um dos destaques foi o primeiro carro, que simbolizou o nascimento da Umbanda e o poder da fé, representando o Grande Orum e também a Preta Velha benzedeira, os eres e o pai Oxalá.

Ocorrências
A segunda noite de desfiles na Passarela Dráusio da Cruz, transcorreu sem incidentes graves. Profissionais da Secretaria de Saúde atenderam cerca de 20 pessoas, a maioria por exaustão física, alterações de pressão e uso abusivo de álcool. Dois casos estiveram relacionados a traumas devido à quedas, que foram encaminhados à UPA Central por necessitarem de radiografia e avaliação ortopédica. Atuaram 25 profissionais, entre médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem, maqueiros e condutores, com suporte de seis viaturas de prontidão, incluindo duas de suporte avançado, além do apoio de 32 bombeiros civis. A Guarda Municipal não registrou ocorrências. Ao todo, 225 integrantes da GM e da Polícia Militar fizeram o patrulhamento nas áreas internas e externas da passarela, com apoio de suas viaturas.

Grupo 1
A primeira noite de desfile (22.02.19) teve as escolas do grupo 1 na seguinte ordem: Dragões do Castelo, Unidos da Baixada, Imperatriz Alvinegra, Bandeirantes do Saboó e Império da Vila. Na mesma ocasião, se apresenta o grupo de acesso: Unidos da Zona Noroeste, Padre Paulo, Brasil e Mãos Entrelaçadas.

.
Corte Carnaval de Santos 2019
.

CORTE CARNAVAL 2019
A festa de eleição de Rei Momo, Rainha e Princesa do Carnaval 2019 de Santos atraiu cerca de 15 mil pessoas durante as quase nove horas de atrações nos Arcos do Valongo (Centro Histórico). O público comemorou, com gritos e aplausos a decisão dos jurados, que escolheram Rosany de Oliveira Santos, da GRES Real Mocidade, como Rainha do Carnaval 2019. Sérgio Vicente da Graça, o Cipó, da GRES Unidos da Zona Noroeste, foi coroado Rei Momo do carnaval santista. A Corte Carnavalesca 2019 se completou com Helena Cristina Ferreira, da GRES União Imperial, como Cidadã Samba, e Luiz Carlos Pereira, o Nenê da Brasil, como Cidadão Samba.

Fotos: Isabela Carrari e Raimundo Rosa