Porto Alegre Carnaval 2014 – Unidos de Vila Isabel mostrou a história das roupas

Unidos de Vila Isabel Carnaval 2014 Porto ALegre Anselmo Cunha 02

A Unidos de Vila Isabel, de Viamão, terceira escola a desfilar na primeira noite de apresentações do Grupo Especial de Porto Alegre no Carnaval 2014, levou ao Porto Seco “A história das roupas na passarela da alegria!”, enfocando não a moda nem os tecidos, mas o simbolismo contido nas vestimentas ao longo da história. O tema, de Sérgio Peixoto, desenvolvido pelo carnavalesco Sandro Rauly, buscou mostrar cronologicamente como as roupas impactaram no desenvolvimento da humanidade, desde o tempo em que os seres humanos viviam em cavernas até as roupas futuristas.

O tema, de Sérgio Peixoto, desenvolvido pelo carnavalesco Sandro Rauly, contou com a participação de 1,5 mil componentes, quatro carros alegóricos (O jardim do Éden Visões do Paraíso, Evoluindo como a humanidade, Criações-necessidades – modismos, na passarela da alegria ou no espaço sideral a roupa esta presente com a Vila Isabel), um tripé (O livro sagrado) e 19 alas. A apresentação durou 65 minutos.

 

FOTOS

Invalid Displayed Gallery


Fotos Anselmo Cunha

 

 

FICHA
Samba-enredo 2014 – “A história das roupas na passarela da alegria!”
Compositores – Rafael Tubino, Gustavinho Oliveira, Thiago Meiners, Willian Tadeu, Leo do Paysa, Victor Alves e PC da Cesta
Intérprete – Márcio Medina

 

ESCOLA
A Unidos de Vila Isabel foi fundada em 7 de abril de 1979. Até 1982, a entidade participava do desfile em Porto Alegre como uma banda. É a entidade fora da Capital que mais vezes participou da categoria especial, embora nunca tenha sido campeã da mesma. Oriunda da Vila Isabel, em Viamão, tem seu símbolo caracterizado por uma pomba; suas cores são o azul escuro, amarelo a branco. Seu atual presidente é Cléber Tavares.

 

LETRA

Deixa a história correr
Meu calor te envolver
No paraíso, a sedução a enlouquecer
Nas civilizações, cobri o pecado
Seguindo sempre ao teu lado
Na linha do tempo, brotei afinal
Tecendo um novo visual
Ornando a fé, fui mistério, virei ritual

O luxo e o poder… sou eu!
O encanto do império… é meu!
A dama mais bela, vesti de nobreza!
Vi na saia dela, a luz da beleza!

Sementes colorindo a aldeia
A força que protege a quem guerreia
E assim naveguei, um novo mundo explorei
Alma de artista na veia
Vestindo as tribos em cada estação
Costurei, no altar, a união
Solta o grito da garganta
A massa vai se levantar
Eu já fui à luta, trazer pra essa rua
O brilho que vai encantar
E a comunidade guerreira
Veste a fantasia e segue a lutar

Vem nessa festa
Que eu te digo com que roupa… eu vou sambar!
Chapéu panamá das cores do céu!
Sou da Vila Isabel!